A música brasileira é diversa e muito elaborada. O país é reconhecido por sua riqueza de ritmos e linguagens, além de musicistas e intérpretes que levam nosso talento por todo o mundo.

Para conseguir expressar toda a heterogeneidade da nossa música em uma playlist, pedimos que os professores da SPOTLIGHT recomendassem as músicas. A playlist já está disponível no Spotify e no Deezer (link no final do texto). Aqui estão as recomendações de nosso time com um bônus especial:

ANDRÉA GONZAGA (Musicalização Infantil): “O Que Será (A Flor da Pele) e Viver de Amor, do Milton Nascimento. Sou apaixonada pelo compositor e essas duas músicas são muito fortes, melodias incríveis, arranjos maravilhosos que fazem você tremer por dentro. Não escuto apenas com os ouvidos, elas tocam a alma.

BRUNO FERREIRA (Bateria): “Fullgás, da Marina Lima. Gosto muito de músicas dos anos 80 e que tragam uma atmosfera dessa época. Essa música me transporta para outra época, me sinto em uma noite carioca dos anos 80. E a linha de baixo, gravada pelo produtor Liminha, talvez seja uma das melhores da década na música nacional. Era pop mas virou MPB.”

DANILO OLIVEIRA (Baixo): “Amor Até o Fim. Por um samba de Gilberto Gil,que dispensa comentários. A interpretação da Elis Regina conseguiu dar ainda mais ”swing” para canção que, por natureza, já é bem sincopada.”

DÉBORA PAIVA (Canto, Violão e Ukulele): “Para Lennon e McCartney, parceria de Lo Borges, Márcio Borges e Fernando Brant. Na época em que escreveram a música pensaram na parceria bacana entre Paul e John e que eles também tinham as parcerias deles e Paul e John nunca iriam saber… Lô fez a música e Márcio e Fernando a letra. A música foi eternizada na voz de Milton Nascimento, Lo Borges e gravações lindas como a da cantora Elis Regina.”

ESTHER CHIRICO (Teclado): “Bem Que Se Quis da Marisa Monte é minha música favorita no mundo. Além da melodia romântica e envolvente, a harmonia é bem trabalhada e a interpretação da Marisa Monte leva o ouvinte a sentir o mesmo que ela. E Paciência do Lenine. Os sons foram escolhidos cuidadosamente para trazer a sensação de calmaria, tranquilidade, que é justamente o que ele pede na música. A letra nos leva a parar e pensar.”

GIL KOCH (Bateria): “Frio, da Monique Kessous. Ouvi uma vez e procurei nos discos…da Marisa Monte. Depois vim a descobrir essa grande artista carioca. Vale a pena ver o clip!. E Música para Ouvir. Pra que serve a música? A metalinguagem de Arnaldo Antunes nos dá algumas respostas. Tudo tem música. Complete a lista!”

GIOVANNA SPINELLI (Violão e Ukulele):Barquinho, de Ronaldo Bôscoli. Primeiramente porque gosto muito e me traz ótimas lembranças. Apresentei na época em que era aluna e me lembro que foi bem legal.”

GON (Violão e Ukulele): O Alquimista do Stefano Mota. Um artista independente que admiro muito. O nível de composição dele é surreal, e ele tem grande repertório harmônico. Eu amo como as letras dele tem significados fortes e certeiros. E Eu Te Amo de Bryan Behr. Uma descoberta recente, acho que ele tem grande potencial para estourar no folk pop brasileiro. As músicas são gostosas de ouvir e perfeitas para uma tarde eterna de domingo.”

GUSTAVO SAMPAIO (Diretor): “A Novidade de Os Paralamas do Sucesso. Composta em parceria com Gilberto Gil, é um ponto de conexão do rock nacional com a MPB. A figura da sereia ilustra de forma simples um dos mais complexos problemas brasileiros. E A Palo Seco, do Belchior. Letra, música, interpretação… tudo muito bonito e intenso.”

MAÍRA PAGLIUSO (Musicalização Infantil): “Brasil Pandeiro dos Novos Baianos. Escolhi essa música, porque demonstra claramente a mistura de ritmos populares no Brasil, como o samba, utilizando muito o pandeiro, com elementos eletrônicos, como a guitarra. Sua letra nos diz sobre a importância de exaltar a malemolência e a cultura do país. Além de estar no Álbum “Acabou Chorare”, um dos maiores álbuns da história da música brasileira.”

MARCOS PAULO NÓBREGA (Técnica Vocal): “Kid Cavaquinho de João Bosco e Aldir Blanc. Swingue do samba. E Beatriz versão com Milton Nascimento. Master Piece.”

MARCUS WOOD (Violão e Guitarra): “O Homem da Gravata Florida. Jorge Ben é reconhecido mundialmente como o grande inventor do estilo, fusão do samba com rock! E Posso Contar Comigo da Rita Lee & Tutti Frutti . Fase da cantora pós Mutantes, fundiu Rolling Stones, David Bowie e rock progressivo! Acabou criando o estilo hard rock Brasil.”

NATHALIE RABELO (Bateria e Violão): Malásia do Djavan. É umas das composições mais famosas do Carlos Bala entre os bateristas por sua levada (groove) ser totalmente diferente do esperado e por sua genialidade. Uma música de subdivisão ternária, porém é necessário escutá-la algumas vezes para que de fato você consiga entender a sua pulsação quaternária. Desafio aos ouvintes identificarem o tempo forte do compasso (rs).”

NATHAN VALENTE (Violão): “Travessia com Milton Nascimento e Fernando Brant. Considero essa uma das canções mais bonitas do nosso cancioneiro, com uma letra impecável de um dos letristas mais inspirados da Música Brasileira. E Baião Malandro de Egberto Gismonti. Ele é um dos nossos tesouros nacionais, nessa faixa vemos toda a energia do seu piano e uma composição linda, bom para começar a conhecer mais sobre a nossa Música Instrumental Brasileira.”

PAULO RIBEIRO (Teclado): “O Vencedor, de Los Hermanos. Levo a vida devagar pra não faltar amor. Faço o melhor que sou capaz, só pra viver em paz! E Perfeição de Legião Urbana. Essa música conseguiu, lá atrás, resumir bem a atual situação pela qual estamos passando.”

PEDRO RAMOS (Violão e Guitarra): “Garota de Ipanema de Tom Jobim e Vinícius de Moraes. A segunda música mais regravada da história perdendo apenas para Yesterday dos The Beatles”.

RAFFA PEREIRA (Técnica Vocal): “Quem Vem pra Beira do Mar, do Dorival Caymmi. Não só pela canção em si, mas pelo compositor e cantor. Para mim o Dorival tem esse poder de nos transportar para um outro universo, com essa voz forte e tão suave ao mesmo tempo, ele consegue nos emocionar e exemplificar o que eu tento passar para os meus alunos que devemos sim ter técnica, mas precisamos saber fazer música, não se trata só de saber cantar, mas levar a arte na canção, através da interpretação e sentimento. Fora que todas as canções dele tem esse universo de praia que me transporta pra casa.”

BÔNUS ESPECIAL: mais duas músicas de nossos professores que têm trabalho autoral nas plataformas de streaming. GON com a faixa Saudade: “Nesses tempos de quarentena, sentimos muita saudade. Das pessoas principalmente. E essa música fala dessa sensação, mas de um jeito bom.” E RAFFA PEREIRA com a canção Menina do Futuro: “além de ser o nome do meu EP, é uma das minhas autorais favoritas. Para mim ela representa um momento muito grande de mudança que tive na minha vida e que todo mundo passa, que é a mudança para a vida adulta. E por isso, acho que muitas pessoas acabam se identificando com ela. Essa música pode não ser um ‘porto seguro’, mas ela passa essa sensação de ‘você não está sozinho‘.”

Ouça e siga essa playlist. No perfil da SPOTLIGHT Escola de Músicos tem outras playlists pra você.

SPOTIFY: https://open.spotify.com/playlist/1thd3lLjCVoXlbLno7fLik?si=Sl3Jd23BSUSMCgYvHmVKoQ

DEEZER: https://www.deezer.com/playlist/7619274762?utm_source=deezer&utm_content=playlist-7619274762&utm_term=1371587568_1588889099&utm_medium=web

E conheça também nossas recomendações de Rock: http://spotlightescola.com.br/playlist-spotlight-recomenda-rock/